Hospital Evangélico

buscar
sac@aebel.org.br 43 3378-1000
menu

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes - CIHDOTT

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante - CIHDOTT, do Hospital Evangélico de Londrina foi criada em 2001, com base legal na Portaria GM n° 905/ 2000, visando melhorar a organização do processo de captação de órgãos, identificar melhor os potenciais doadores, promover uma entrevista familiar mais adequada, melhorar a articulação do Hospital com a respectiva Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos – CNCDO, viabilizando assim a ampliação qualitativa e quantitativa no que concerne a captação de órgãos.

Médico Intensivista: Dr. Carlos Alexandre Martins Zicarelli

Enfermeira Responsável: Elizabeth Capelo Frois

Quero ser um doador de órgãos. O que posso doar?

É fundamental que os órgãos sejam aproveitados para a doação enquanto ainda há circulação sanguínea irrigando-os, ou seja, antes que o coração deixe de bater e os aparelhos não possam mais manter a respiração do paciente. Mas se o coração parar, só poderão ser doadas as córneas e as válvulas cardíacas.

Qual é o tempo necessário para retirar o órgão do doador e transplantar no receptor?

Córneas – até 7 dias

Coração – até 4 horas

Pulmão – até 6 horas

Intestinos – até 6 horas

Rins – de 24 até 48 horas

Fígado – de 12 até 24 horas

Pâncreas – de 12 até 24 horas

Ossos – até 5 anos

Medula Óssea – se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue

Pele – até 2 anos

Valvas Cardíacas – até 10 anos

O que é necessário para doar órgãos em vida?

É necessário ser um cidadão juridicamente capaz;

Estar em condições de doar o órgão ou tecido sem comprometer a saúde e aptidões vitais;

Apresentar condições adequadas de saúde, avaliadas por um médico que afaste a possibilidade de existir doenças que comprometam a saúde durante e após a doação;

Querer doar um órgão ou tecido que seja duplo, como o rim, e que não impeça o organismo do doador de continuar funcionando;

Ter um receptor com indicação terapêutica indispensável de transplante;

Ser parente de até 4°grau ou cônjuge. No caso de não parentes, a doação só poderá ser feita com autorização judicial.

Quem recebe os órgãos e/ou tecidos doados?

Em todos os Protocolos de MORTE ENCEFÁLICA a Central de Transplantes é comunicada, pois apenas ela tem acesso aos cadastros técnicos com informações de quem está na lista esperando um órgão. Além da ordem na lista, a escolha do receptor será definida pelos exames de compatibilidade entre o doador e o receptor. Por isso, nem sempre o primeiro da fila é quem recebe o órgão.
 

Como posso me tornar um doador de órgãos?

O passo principal para você se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o seu desejo. Não é necessário deixar nada por escrito.  A doação de órgãos é um ato pelo qual você manifesta a vontade de que, a partir do momento da constatação da morte encefálica, uma ou mais partes do seu corpo (órgãos ou tecidos) em condições de serem transplantadas possam ajudar outras pessoas. Quem pode autorizar é seu familiar até 2° grau de parentesco.

E o que é a Morte Encefálica?

É a morte do cérebro incluindo tronco cerebral que desempenha funções vitais como o controle da respiração. Quando isso ocorre, a parada cardíaca é inevitável. Embora ainda haja batimentos cardíacos, a pessoa com morte cerebral não pode respirar sem os aparelhos e o coração não baterá por mais de algumas horas. Para o diagnóstico são realizados dois testes clínicos estabelecidos pelo Conselho Federal de Medicina com um exame de imagem. Por isso, a morte encefálica já caracteriza a morte do indivíduo inclusive sendo emitida a Declaração de Óbito ao final do protocolo. Todo o processo pode ser acompanhado por um médico de confiança da família do doador.

 

Posso doar algum órgão em vida?

Sim.  A compatibilidade sanguínea é primordial em todos os casos. Há também testes especiais para selecionar o doador que apresenta maior chance de sucesso. Os doadores vivos são aqueles que doam um órgão duplo, como o rim, uma parte do fígado, parte do pulmão ou um tecido, como a medula óssea e sangue. Este tipo de doação só acontece se não representar nenhum problema de saúde para o doador.

 

Quem não pode doar?

Pacientes portadores de insuficiência orgânica que comprometa o funcionamento dos órgãos e tecidos doados, como insuficiência renal, hepática, cardíaca, pulmonar, pancreática e medular;

Portadores de doenças contagiosas transmissíveis por transplante, como soropositivos para HIV;

Pacientes com infecção generalizada ou insuficiência de múltiplos órgãos e sistemas;

Pessoas com tumores malignos - com exceção daqueles restritos ao sistema nervoso central, carcinoma basocelular e câncer de útero - e doenças degenerativas crônicas.

Fale Conosco

CIHDOTT
Telefone: 43 3378-1354
E-mail:cihdott@helondrina.org.br

Saiba o que pode ser doado:

  • Rins

    Tempo de retirada: 12 horas Tempo de implante: 24 horas
  • Córnea

    Tempo de retirada: 12 horas Tempo de implante: 24 horas
  • Fígado

    Tempo de retirada: 12 horas Tempo de implante: 24 horas
  • Coração

    Tempo de retirada: 12 horas Tempo de implante: 24 horas
  • Pâncreas

    Tempo de retirada: 12 horas Tempo de implante: 24 horas
  • Ossos

    Tempo de retirada: 12 horas Tempo de implante: 24 horas